Home do Criar Mundos

Introdução

Criar Mundos

:: Antropologia

:: Ciências

:: História

:: Linguística

:: Literatura

:: Mitologia

Portugal

Referências

Capítulo Anterior
<<

O que é a Filosofia?

Próximo Capítulo
>>


Explicar o que é a Filosofia não é uma tarefa fácil: os seus contornos são indefenidos e abrangentes, espalhando-se para todos os campos da vida e do mundo, sobre nós e sobre os outros, mas acima de tudo sobre a nossa mente e consciência, a nossa experiência, o nosso lugar no pequeno mundo que nos rodeia e no Universo que engloba tudo. Para perceber a razão desta abrangência é preciso olhar bem para o significado desta palavra, que deriva do grego:

philos + sophia
amor + sabedoria

Portanto, na base desta disciplina está o amor pela sabedoria, amor este que se traduz no conhecimento (teórico e prático) do Homem sábio. Assim, este conhecimento incide sobre toda a ciência, conhecimento e sabedoria racionais: as concepções sobre todos os seres e coisas e os seus respectivos papéis no Universo, incluindo também os processos que levam a essas concepções.

No entanto, esta descrição leva à óbvia conclusão de que a Filosofia se assemelha a outras disciplinas. Exploremos então essas semelhanças e diferenças:

  • Poesia - Debruçam-se sobre os mesmos temas, mas a Filosofia baseia-se apenas na razão e a Poesia explora a emoção.
  • Religião - Debruçam-se sobre os mesmos temas, mas a Filosofia baseia-se na experiência e a Religião baseia-se na revelção mística e na fé.
  • Ciência - Debruçam-se sobre alguns temas em comum, mas a Ciência utiliza diversos conceitos (tempo, espaço, movimento, causa, número, prova, verdade, lógica) como verdades absoltutas a partir dos quais analisa tudo, enquanto a Filosofia esforça-se por examinar, definir e validar esses mesmos conceitos usados pela Ciência. Por exemplo, tudo se rege segundo leis mecânicas e materiais, leis essas que são descobertas pela Ciência. Contudo, a mente humana, por exemplo, parece nunca se conformar com exactidão a essas leis - a razão disto é estudada pela Filosofia.

Observando as diferenças entre estas disciplinas, podemo-nos aperceber que o método de atingir o conhecimento é igualmente importante: procura-se a verdade não a partir de superstição, mas a partir do pensameno e da razão. Como? Podemos distinguir três tipos de pensamento:

  • Pensamento Especulativo - A curiosidade humana que nos leva à tentativa de compreender o Universo: a natureza das coisas, a sua matéria e função.
  • Pensamento Prático - A aplicação prática, na conduta, da compreensão da natureza da vida em relção com o lugar do ser humano no mundo e o seu comportamento.
  • Pensamento Crítico - A examinação cuidada das bases de qualquer raciocínio, assim como a procura do método mais eficaz para validar as posturas e proposições tomadas relativamente às diversas questões abordadas.

Claro que, no seu início, a Filosofia não englobou logo todos estes pensamentos: isso foi um processo evolutivo. Um processo a que cedo se chegou (logo na Grécia Clássica). No entanto, mesmo com todas estas pequenas fronteiras aqui já delineadas, continua a ser difícil compreender com exactidão o que é a Filosofia. Assim, vamos também observar as suas diversas áreas de estudo, aproveitando logo para apresentar algumas das respostas às principais questões levantadas por esta disciplina.

Setembro de 2005




Capítulo Anterior
<<
  Próximo Capítulo
>>

Este site e todos os materiais nele presentes são propriedade das suas autoras, excepto quando se indique outros autores.